quinta-feira, 7 de abril de 2011

Jeeps na FEB I

Com sua entrada na 2ª Guerra Mundial em 1942, o Brasil passou a receber armamentos e suprimentos dos aliados, inclusive jeeps americanos em grande quantidade, que rapidamente integraram-se à cena brasileira. A Força Expedicionária Brasileira (FEB) dispôs na Itália de 655 jeeps que entraram em combate em muitas missões. Contrariamente aos jeeps dos Estados Unidos e Canadá (os únicos dois outros países do continente americano que mandaram forças para efetivo combate na 2ª Guerra), muitos voltaram ao Brasil com o fim da guerra, continuando em atividade nos quartéis do Exército em todo o país. Desmobilizados, após bastante tempo de serviço, vários deles ainda rodam na mão de civis e colecionadores.


 Alunos da Escola de Motomecanização do Exército Brasileiro com seu jeeps em 1943


Rendição dos alemães em Collechio-Fornovo, Itália, em 29 de abril de 1945 e mostra os feridos alemães sendo transferidos das ambulâncias germânicas para as brasileiras

 À frente da ambulância Dodge WC-54 da FEB, está o Tenente Médico Lázaro Rubim

 Membro da resistência italiana mostra a oficiais brasileiros posições alemãs em um mapa sobre o capô de um jeep da FEB.

 Grupo de soldados brasileiros, em um dos 13 blindados Ford M-8 da FEB, é recebido entusiasticamente pelos habitantes da cidade italiana de Massarossa, recém libertada.

 Um jeep de uma unidade brasileira, pronto para sair em missão de patrulha na Itália. 

 O general Mark Clark, comandante do V Exército americano e o General Mascarenhas de Moraes, comandante da FEB, estudam os mapas de operações, na Itália.

 O general Mascarenhas de Moraes (3º da esquerda para a direita) no MB batizado de Liliana em homenagem à sua neta. (foto do Exército Brasileiro)

O general Mark Clark, comandante dos aliados na Itália, passa em revista as tropas brasileiras. (foto do Arquivo Nacional)

 Jeep Willys MB, de patrulha brasileira, em estrada italiana. (foto do Arquivo Nacional)

 Recém-chegadas da Itália, após o fim da Guerra, as tropas do 6º Regimento de Infantaria fazem o desfile da vitória em São Paulo, passando em frente à Estação da Luz. (foto da Associação dos Ex-Combatentes - SP)

 Paschoal Borelli (primeiro à direita) e outros soldados brasileiros da FEB, posam em frente ao seu Jeep, na Itália, em 1944.

 Alessandria, Itália, 1944.


 As fotos acima, enviadas pelo Ricardo D'Avila, foram tiradas nos Apeninos pelo tio dele, veterano da 2ª Guerra, o então tenente Olavo Oliveira, que comandou um pelotão da FEB na Itália. O jeep acima é o "De Lurdes", que o Ricardo está pretendendo replicar. Ótimas fotos para se observar as marcações da época.

 Foto publicada na revista da época "Esquadrilha" e mostra um Jeep Willys MB 1942 desfilando na parada de 7 de Setembro de 1942. Interessante notar os capacetes dos soldados, ainda do estilo antigo. Pode-se observar, ainda, ser um jeep da primeira série, pois não possui o galão de gasolina traseiro e  o farol de black-out do paralamas dianteiro, que passaram a equipar os jeeps fabricados a partir de julho de 1942.
 Foto tirada em Montese, o jeep segue em direção ao campo de batalha, o cabo Sílvio (de capacete) ocupa seu posto junto ao equipamento de rádio.

 A foto acima, à esquerda, mostra o cabo Sílvio Cavalcanti (em pé ao lado do motorista) no jeep "Celina" equipado como rádio-estação, após passarem por ponte quase destruida em Piacenza.

Cabo Sílvio e o motorista do jeep em patrulha.

Foto enviada por Paulo Pinotti de Almeida, tirada na região de Monte Castelo, na Itália, em que aparecem o seu tio-avô, Sgto. Roberto Bugelli e colegas da Seção de Informações do 1º Batalhão do 6º R.I. da FEB. O Sgto. Bugelli é o segundo a partir da direita da foto e o seu oficial comandante, Ten. José Piason é o primeiro (em pé). O jeep, batizado de "Macaca", levava o número FEB 506.

Ao lado do seu jeep, o (então tenente) Cel. Sérgio Pereira (de óculos). 

  Nossos pracinhas posam ao lado de seu jeep da Polícia do Exército (então chamada Policia Militar). 

 Um dos 12 incomuns jeeps-ambulância da FEB. Notar também a barra fixada no parachoques, destinada a proteger os ocupantes contra arames esticados pelo inimigo nas estradas. 

Dois soldados brasileiros no jeep e um interessante acessório, a barra vertical, muito usada pelos aliados para se previnir contra uma eficaz armadilha do inimigo, arames esticados nas estradas que freqüentemente decapitavam os ocupantes menos atentos dos veículos. Essa haste tinha em sua extremidade uma reentrância afiada para onde o arame corria e era então cortado. 

O Presidente Franklin D. Roosevelt (frente), dos Estados Unidos, e o Presidente Getúlio Vargas (atrás), do Brasil, acompanhados de oficiais de ambos os países, a bordo de um Jeep Willys MB 1942, inspecionam a estratégica base militar de Natal, Rio Grande do Norte, na escala de retorno do Presidente Roosevelt da Conferência Aliada de Casablanca, em 29 de Janeiro de 1943, em direção ao seu país. Esta foto inspirou uma famosa tela de Raymond Nelson.
Desfile da vitória em Piacenza. No palanque estão os generais Mascarenhas de Morais e Zenóbio da Costa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário